A alegria da volta às aulas indo a pé para a escola

Tempo de leitura: 4 minutos

vola as aulas

Ir a pé para escola nesta volta às aulas tem sido uma experiência mágica para quem estava acostumado a gastar 25 minutos de carro para ir ou vir

Por Eduardo M. R. Lopes

As férias de verão acabaram, as aulas recomeçaram e lá foi a minha filha com toda a alegria dos seus seis anos iniciar o ano no Primeiro Ciclo.

Desta vez, porém, com um atrativo a mais que está fazendo muita diferença: estamos indo a pé para a escola.

Mas quem nos vê caminhando de mãos dadas pela estrada afora, talvez tenha esquecido ou nem desconfie que nem sempre foi assim.

Recordar é viver

Quando mudamos para Portugal há dois anos, morávamos a cerca de 25 minutos de carro da escola, o que muitos diziam que era uma grande loucura.

Talvez até fosse mesmo, mas a questão é que entre todas as escolas que pesquisamos na época, esta foi a que se encaixou como uma luva em todos os aspectos que buscávamos – exceto a distância – e acabou superando todas as nossas expectativas.

E confesso que, bem no início, levar e buscar era muito ruim mesmo, pois a minha filha costumava enjoar na viagem e era comum ter que parar o carro no acostamento para ela vomitar.

Passamos, então, a sair de casa sem dar-lhe o pequeno almoço, levando-o na lancheira e deixando para dar assim que chegávamos à escola (20 minutos em média mais cedo que toda a turminha) – e aí tudo começou a fluir melhor.

Ainda assim, apesar de ser cansativo (para todos) e do consumo de tempo (e combustível e pedágio), era gostoso porque era um tempo rico em que conversávamos bastante sobre velhas e novas histórias, e também ia-lhe apresentando novas músicas misturando com as quais ela já gostava.

Durante esses dois anos, no meio de tantas perguntas que uma menina curiosa podia fazer, uma que mais parecia um desejo era recorrente:

– Papai, um dia iremos morar perto da “minha” escola?

Sonho que se sonha junto é realidade

Suspirava e me lembrava de quando eu era pequeno, recém chegado de Moçambique no Brasil, frequentando uma escolinha próxima de casa, indo a pé com a minha mãe e o quanto andar na rua era divertido.

Suspirava e a realidade esfregava na minha cara a quantidade de apartamentos esquisitos que já tínhamos visto em toda a região, o preço dos imóveis e das rendas disparando, o Real derretendo e os nossos projetos portugueses andando de lado.

Suspirava e ainda assim me reconfortava saber que, se e quando conseguíssemos o que quer que fosse, estaríamos de fato mais próximos da escola do que na antiga morada, o que pelo andar da carruagem já seria uma grande vitória.

Por isso sempre respondia com firmeza que “Sim, um dia sim”, ao que ela devolvia com um sonoro “Yeah!”.

Mudar era preciso e trocá-la de escola estava fora de cogitação.

– Um dia, né papai?

Sim, filha, um dia.

Sempre alcança quem não cansa

Não entregamos os pontos e continuávamos fazendo ouvidos de mercador a todos os prognósticos negativos dos incontáveis corretores de imóveis aos quais pedíamos ajuda.

Até que um dia, tal e qual num conto de fadas típico da sessão da tarde, num dia em que o céu parecia que ia desabar com tanta chuva, o destino (sorte?!?) resolveu nos mostrar o seu sorriso.

E pior, ou melhor, é que o nosso novo lar era tão próximo da escola que o percurso dá para se fazer em menos de cinco minutos de caminhada.

Enfim a realidade se mostrava melhor do que os nossos sonhos mais otimistas e aí tudo mudou da água para o vinho.

Ganhamos tempo e qualidade de vida, além de economizar nas despesas com transporte e, por tabela, ajudar a reduzir a poluição no planeta.

Se ela continuará nesta escola até ir para a faculdade, sinceramente não consigo responder; até mesmo porque na vida tudo muda o tempo todo, muitas vezes até contra a nossa vontade.

O que posso afirmar é que estamos curtindo muito essa nova rotina de uma nova vida que começou para todos nós – e que, a julgar pelos sorrisos matinais e as novas histórias que começaram a aparecer nas nossas caminhadas, fez-nos um bem danado! 😉

4 Comentários


  1. Parabéns por todas as conquistas !!!
    Vocês merecem, Deus está sempre no comando. Ótimo ano letivo para a Sophiazinha ❤️

    Responder

  2. Memórias meu amigo, memórias.
    São as coisas mais importantes no nosso trajeto por aqui.
    Grande abraço!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.